Pingos nos iis.

Eu vivo gritando pelos quatro cantos do mundo que "nutrição não é isso que vendem por aí". Me descabelo, me entristeço, me decepciono... Mas parece que, para isso mudar, seria necessário redesenhar uma série de coisas. Principalmente os próprios profissionais (entenda aqui, os nutricionistas e os não-nutricionistas-que-estudam e falam a respeito).

De todo modo, acho que nada é por acaso, sempre há uma lição a ser retirada de qualquer situação. As que mais incomodam, são ainda mais carregadas de ensinamentos.

Hoje, logo cedo, rolando a tal timeline, me deparei com uma reportagem da Vogue sobre a Bela Gil e, mais uma vez notei a "nutrição" que se vende falando mais alto.

http://vogue.globo.com/beleza/fitness-e-dieta/noticia/2013/12/bela-e-fera-conheca-polemica-e-requisitada-dieta-pregada-por-bela-gil.html

Sem a menor pretensão de julgar aquilo que a moça faz e acredita, tão pouco a conduta que exerce na sua vida, mas sinto-me na obrigação de sinalizar que certos preceitos lá indicados não são "da ciência da nutrição".

Não são! Desculpe, mas não são.

Existe nutricionista - e conduta - para todo tipo de pessoa: daquele que não viverá sem refrigerante àquele que planta seu tomate e faz seu próprio pão. Qual é melhor? Quem somos nós para julgar?

O que fica muito complicado é taxar como verdade - em programa de televisão - preceitos que não tem comprovação por meio de métodos científicos na área na nutrição, e que misturam conhecimentos de outras áreas (que podem ser legítimos e ter sua utilidade, mas não são da "nutrição"). Nesse momento é muito importante saber o que é o que.

Já disse isso, mas não canso de repetir: a nutrição é uma ciência muito próxima do cotidiano, muito próxima das pessoas, o que faz dela uma ciência de fácil aplicabilidade - portanto, é preciso grande cuidado com o que se dita como "verdade".

Se para ela os alimentos têm forças e energias diferentes, ótimos. Mas isso não é o que a ciência diz. Não estou dizendo quem está certo ou quem está errado... É uma questão de nomenclatura e definições - semântica, se preferir.

O ponto de conflito, no entanto, se forma quando ela assume - enquanto nutricionista - que a água deve ser bebida apenas quando se está com sede (desconsiderando conhecimentos fisiológicos dos osmoceptores), ou quando pede período longo de jejum entre refeições (desconsiderando mecanismos de ativação metabólica), ou quando prega a destoxificação alimentar (em pessoas "comuns" que não foram intoxicadas por metais pesados... Estão só vivendo e comendo o que a vida moderna lhes oferece).

Nesta ótica, frente aos ensinamentos que ela prega, deveria ser reforçado suas qualidades de "não-nutricionista-conhecedora-de-um-outro-lado-da-alimentação" do que o de nutricionista.

Todo conhecimento é válido e tem seu valor, mas seu rótulo tem que combinar com seu interior. A roupagem e o conteúdo precisam de coerência.

Caso contrário, vamos seguir com contradições, incoerências e pré-julgamentos sobre uma área do saber que, de tão desunida, só se enfraquece.

 

Beatriz Pgananelli Van Sebroeck - Nutriticionista, Mestre em Processos midiáticos: jornalismo e entretenimento (Fundação Casper Libero)

http://gratisography.com/

http://gratisography.com/

http://vogue.globo.com/beleza/fitness-e-dieta/noticia/

http://vogue.globo.com/beleza/fitness-e-dieta/noticia/

Neide 29/08/2015 15:40

Foi divulgado pelo conselho de nutricionistas que a Bela nao é nutricionista...ela nao tem registro no CRN, logo nao esta apta a prescrever dieta...

Valeria 04/03/2015 21:48

Muito clara e justa!

Minimalist © 2014 -  Hébergé par Overblog