Aff! Mais "pérolas"... e o insulto à semântica.

  • Juliana Grazini
  • Pérolas
Aff! Mais "pérolas"... e o insulto à semântica.

Eu tenho questionado cada vez mais a formação elementar de alguns "blogueiros"!

Não falo de acentos graficos; eu mesma não os tenho neste teclado francês e ouso publicar sem.

Não falo de sintaxe; uma vez que nosso "português" é tão americanizado que escrevendo de qualquer maneira consegue-se "ler".

Nem da pontuação; porque eu também visto todas as carapuças das criticas dos textos mal pontuados!

Me refiro aqui aos termos criados que não fazem sentido nenhum! Ou mesmo do uso de termos inapropriados para explciar algumas doenças.

 

Ja faz tempo que o termo "terrorismo nutricional" tem me causado arrepios.

Se terrorismo,s.m., significa "modo de coagir, combater ou ameaçar pelo uso sistematico do terror" e terror, s.m. "estado de grande pavor"(Mini Aurélio, 6a.edição) e nutricional é relacionado a nutriçao que por sua vez é o ato de nutrir e que nutrir é uma atividade metabolica invonluntaria e inconsciente, quem é que faz terror com quem? Que terrorismo é este?

 

Outro dia li que a ortorexia é a compulsão por alimentos saudaveis. Oi?! Compulsão? Compulsão é um termo utilizado para atos incontrolaveis, episodicos e geralmente em psiquiatria. Na ortorexia o doente não tem compulsão, e sim uma certa rigidez na gestão da sua alimentação.

 

E a melhor "pérola" foi a do "fascismo nutricional"!!! Nossa!!! Esta doeu! Fascismo é um movimento politico iniciado na Italia, imaginado por Mussolini e seus parceiros. Como é que se pode atribuir um movimento politico a nutrição??? O que é muito presente no fascismo é o autoritarismo. No caso do "nutricional" quem é autoritario com quem??? Alguém me explica?

Acho que poderiamos utlizar melhor os termos. Por exemplo: em vez de fascismo nutricional: segregação através dos habito alimentar, ou em vez de terrorismo: a dramatização ou valorização exagerada do nutricionalmente correto e em vez de compulsão: dificuldade de adaptação as situações onde se consuma alimentos ditos "menos saudaveis".

 

E usar haspas também, porque sabemos que não existe alimento saudavel, o que existe é uma ALIMENTAçAO saudavel! Este papo de alimento saudavel também cansa e é um prato cheio para criar os nichos de mercados que tanto almeja o setor comercial. E o engraçado nisso tudo é que, para os "metidos a sabichões", quem vende refrigerante é sacana, desenvolve estratégias de marketing, mas quem vende salada, alimentos integrais e outros ditos "saudaveis", nao! E haja ingenuidade!!! Que se aproxima da ignorância...

 

Vejam bem: se é para comunicar, que a informação e a mensagem sejam bem trabalhadas! Mas se for para "bombar" na rede social, ok! Continuemos com o "besteirol" ja que ninguém lê mesmo, não é?!

 

Não saiam por ai falando por falar; isso não ajuda, piora! Mesmo se vocês acham que estão ajudando!

 

 

Profa. Dra. Juliana Grazini dos Santos (Paris, 04 de junho de 2015, sem sinais graficos para acentuar na lingua portuguesa)

Eda 10/06/2015 01:38

Parabéns!!

Minimalist © 2014 -  Hébergé par Overblog