A alimentação dos franceses. (Inca 3)

  • Juliana Grazini dos Santos
  • Na tela

Em junho passado a Anses (Agência Nacional de Segurança Sanitária, da Alimentação, do Meio Ambiente e do Trabalho – França), publicou o 3º INCA (Investigação Nacional de Consumo Alimentar – França).

Vale a leitura:https://www.anses.fr/fr/system/files/NUT2014SA0234Ra.pdf

Alguns pontos interessantes e que merecem ir pra tela:

- a maioria dos indivíduos ainda faz três refeições por dia (café da manhã, almoço e jantar), e a maioria das crianças ainda faz o lanche da tarde;

      - o café da manhã não é praticado por 40% dos adolescentes (com idade entre 15 e 17 anos), e 28% dos adultos (neste estudo considerados aqueles com idade entre 18 e 44 anos);

- as crianças e adultos ingerem quantidades razoáveis de frutas, legumes, verduras, leites e derivados, e o consumo está relacionado ao grau de instrução da família e indivíduos;

- complementos alimentares são mais consumidos por mulheres adultas, no inverno;

- mais de um terço (1/3) dos alimentos transformados consumidos fora de restaurantes, são de fabricação industrial, mais de um terço(1/3) feito em casa e o restante artesanal e outros;

- os hipermercados ainda são os mais frequentados para compra de frutas, legumes, carnes, e pexies frescos, mas a maioria compra pão na padaria;

- o preço ainda é o primeiro critério de decisão de compra mas muda em função da idade, nível de instrução, poder aquisitivo e posição social;

- a temperatura das geladeiras em metade dos lares varia entre 2 e 6º C., e a temperatura mais encontrada foi de 5º C.;

 - o material em contato com os alimentos embalados nos lares mais encontrado é o plástico, depois alumínio e por último vidro;

- quase a totalidade dos lares está ligado a tubulação de água própria para o consumo, distribuída pelos serviços público de tratamento e distribuição de água, porém um quarto (1/4) utiliza outros meios de filtração;

 - a prevalência de sobrepeso é de 13% entre os indivíduos com idade entre 0 e 17 anos e de 34% entre aqueles com idade entre 18 e 79 anos;

- a prevalência de obesidade é de 4% entre os indivíduos com idade entre 0 e 17 anos e de 17% entre aqueles com idade entre 18 e 79 anos;

- as prevalências de sobrepeso e obesidade, quando comparadas ao estudo anterior (2006-2007), permacecem estáveis entre os indivíduos com idade entre 3 e 14 anos, mas a prevalência de sobrepeso é mais elevada entre os adolescentes com idade entre 15 e 17 anos, e os adultos;

- as principais fontes de informação sobre alimentação dos adolescentes são : a família, depois a publicidade, em seguida os professores e por último as embalagens ;

- os adultos se informam pela mídia tradicional (rádio, televisão,, jornais e revistas), depois família e amigos;

- sobre o acesso às informações: a internet foi mais citada em relação ao estudo anterior.

Ao que interessa mais ao nosso blog: estes últimos resultados.

Qual valor atribuído a estas informações?

Como elas são interpretadas?

Como elas são utilizadas?

Qual é o peso delas na hora da decisão de compra e consumo?

 

 

Juliana T. Grazini dos Santos

A alimentação dos franceses. (Inca 3)
Minimalist © 2014 -  Hébergé par Overblog