Pergunta que não queria calar começa a aparecer.

  • abundancia

A pergunta é a seguinte: por quê, num pais tropical, num pais onde as frutas são relativamente baratas, as terras são férteis, temos frutas mesmo durante o inverno sem necessidade de importar ostensivamente e desequilibrar a balança comercial (creio eu; economistas, agrônomos e afins podem me corrigir), a mão de obra é abundante, entre outros, não se encontra (com exceção do suco de uva) sucos nas grandes redes de distribuição de alimentos ?   Porque encontramos quase que exclusivamente nectar de frutas ? 

Mercado/consumo deve ter, caso contrario estes produtos não se encontrariam mais nas gôndolas dos supermercados.

 

Hoje me deparei com um "post" no Facebook que eu quero dividir. Enfim alguém fala que embora seja suco de fruta, estes das latinhas, saquinhos e afins, não são tão diferentes de um refrigerante.


"Coca Cola: 149 kcal, 37 g açúcares e 18 mg sódio.

Del Valle maracujá: 182 kcal, 44 g açúcares e 42 mg sódio.

O suco industrializado está pior que a Coca, e você ai achando que substituindo um pelo outro vai adiantar alguma coisa!   #doceilusão #xôrefri #xôsucoindustrializado #nutriçãoemfoco" link 

 

 

Ok! Ok! Quesito desenvolvimento do paladar, acidez, etc...podem ser diferentes. "Quoi que..."

 

Nada contra alimentos processados! Lembremos sempre que os procedimentos industriais permitiram alguns avanços na saude e principalmente na disponibilidade de alimentos, além da diminuição dos casos de intoxicação alimentar.

A questão é, nao existe um bandido nesta historia. Entendamos mais sobre o "todo" antes de culpabilizar um unico  "pobre alimento". Este "alimento" é consumido ha muitas décadas e o problema nao esta somente nele, o problema envolve o modo de consumo, a quantidade consumida, sobretudo o aumento da quantidade consumida, que eu me atrevo dizer que é proporcional ao aumento da necessidade da riqueza material humana.

Perdemos o sentido de consumir moderadamente, não somente alimentos, mas todo o resto: roupas, carros, dinheiros, amores, dores...

 

 

Juliana T. Grazini dos Santos (Paris, 10 de janeiro de 2014)

 

PS - de novo teclado francês e "la flemme" de copiar, colar e inserir caracter novo (etc) para acentuar.

 

20130906 16582220130906 16583720130906 16585620130906 16594320130906 16593020130906 165913

Minimalist © 2014 -  Hébergé par Overblog