Radicalismo pode ser nocivo!

  • abundancia

Para os radicais "anti", este texto é para os "anti- leite".

 

Tive a oportunidade de receber um texto imparcial e que eu gostaria de compartilhar para que ponderemos o radicalismo gratuito. Sim gratuito, porque muitas das "correntes" anti, são insuficientemente embasadas. Se os que lançam estes "modismos" tivessem seguido um bom curso de fisiologia (mais nada) ja perceberiam que fisiologicamente os argumentos são insustentaveis; menos ainda se conseguissem engrenar fisiologia, com bioquimica, quimica...

Segundo o Prof.Léon Guéguen, diretor honorario do INRA (Instituto Nacional de Pesquisa Agronômica na França), no documento Cholé-Doc, N.139 de Março/Abril de 2014 do Cerin, "a biodisponibilidade de calcio dos alimentos é controversa, sobretudo quando se compara o calcio do leite com o dos alimentos de origem vegetal. A polêmica recorrente, alimentatada pelos criticos do leite e derivados, e pelos vegetarianos estritos, baseia-se em intrepretações erradas de dados cientificos, estas mesmas mais ou menos confiaveis por causa de suas falhas, as vezes nem validadas em função de métodos inadequados que foram utilizados."

 

O texto todo discorre sobre os inumeros resultados de pesquisas a respeito da biodisponibilidade de calcio do leite e derivados e de alimentos de origem vegetal. E a conclusão que eu também quero compartilhar diz: "Mesmo se a biodisponibilidade do calcio de leite nem sempre é superior à do calcio de alguns raros alimentos de origem vegetal, a excepcional riqueza em calcio do leite e seus derivadosos torna-os indispensaveis para cobrir facilmente as necessidades de calcio por meio de uma alimentação habitual e equilibrada. Estudos epidemiologicos confirmam a necessidade de consumo de leite e derivados para a prevenção de osteoporose, o que não é o caso dos regimes vegetarianos estritos, sem leite e derivados."

 

Este é o argumento fisiologico, bioquimico e fisi-quimico da ingestão de leite e derivados. 

 

Quais são os argumentos contra?

Que me dêm justificativas ecologicas, em respeito ao animal, justitificativas econômicas, correntes filosoficas, religiosas, etc., e até mesmo a sindrome persecutoria do "capitalismo selvagem"  eu aceito, mas não invetem desculpas fisologicas e/ou bioquimas porque acaba se tornando um atentado aos neurônios daqueles que estudam com seriedade...

telechargement--1--copie-1.jpg


Prof.Dr. Juliana T; Grazini dos Santos - Paris, 21/05/2014.

 

PS - toujours sans accents graphiques...

Minimalist © 2014 -  Hébergé par Overblog